quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Cenas da Plaza Mayor



Nem todos são livres na Plaza Mayor.


Ícone de Capital Espanhola, a Plaza Mayor representa a história de um povo movido à conquistas. Seu quadrado foi testemunha de épicas passagens do cotidiano madrilenho. Entretanto lanço nesse cyber espaço o seguinte questionamento...

Quem é livre na Plaza Mayor de Madrid?


Fato é que tudo acontece nesse quadrado, tudo acontecia e tudo acontecerá.


Suas sacadas vislumbraram casamentos, santificações, decapitações, festas, feiras e tantas outras passagens que fazem de suas paredes a cela da história espanhola. A forma de quadrilátero, símbolo da dinâmica que marca a arquitetura hispânica. Ícone da engenharia perfeita e perpetuada em sua feroz conquista americana. Aos meus olhos parece uma prisão.

Entro na Plaza Mayor. Respiro fundo. Ela me sufoca.

Olho para o lado, vejo um bando de turistas tentando sacar a selfie perfeita com a estátua "cavalerística" de Filipe III. Do outro lado uma família barganha o preço de uma caricatura, sem pensar no valor do artista. Tudo está à venda, tudo é negociável. Até a arte. Até? Na minha frente um Papai Noel cansaço, fica apático à alegria da menina, que sonha com mil e uma possibilidades de presentes de natal.

Já é Natal na Plaza de Espanha, a feira natalina traz as velhas novidades. O que surpreende são as mesmas pessoas que compram os mesmos artículos de Santa Claus do ano que passou. Consumo, consumo, consumo...


Uns presos à vaidade da exposição em redes sociais.

Outros presos à labuta mesmo que lúdica do cotidiano.

Muitos presos à necessidade de consumir.

Sigo minha caminhada, vejo um casal apaixonado com um cadeado na mão. A cena me angustia. O casal prende o objeto com suas iniciais em um dos quatro pilares de tortura da famigerada praça.

Nessa dualidade, penso na máxima espanhola de Don Rodrigo: "ha de perder la cabeza, pero no el orgullo". Opa! Pera, o cavaleiro medieval da épica frase espanhola pensaria o quê ao vislumbrar tal cena?

Sigo com a minha teoria e uma algazara chama a minha atenção. Paro e inevitavelmente sorrio. Crianças correm atrás de Bolas de Sabão gigantes. Uma cena inocente. O vendedor da fantástica máquina, cria cada esfera maior que a outra, em um ciclo mágico que é quebrado por um menino. O "chico" não deixa escapar uma bola, estoura todas! Orgulhoso, poderoso e nem tão inocente assim. Penso: nem a bola de sabão é livre na Plaza Mayor.


E ouço palmas, gritos e olho pra cima...

Um casal de uma das sacadas, acena para a multidão da praça. Os noivos, brindam diante do povo sua felicidade, celulares ao alto em poucos segundos o amor é compartilhado em inúmeras redes sociais. Ponto final! Missão cumprida, pode tirar o salto e a gravata. Acende um cigarro e confere quantas curtidas tem esse amor. Ah esse amor!

E chove, sinto que o céu chora e inunda a praça. A angustia me consome, penso em chorar também. Mas lembro, estou de passagem. Estou de passagem por aqui.

Em tempos de tinder, perde-se a cabeça em outro estilo. Bem diferente do estilo da Idade Média, ainda assim sofrido e amargo. Resumindo, do mesmo jeito. Reflito, será que Carlos Gardel pensou na Plaza Mayor para compor seu célebre tango "Por una cabeza"?

Quizas, quizás, quizas.

Continuo andando, pensativa. Até que um homem sem cabeça esbarra e tomba a minha câmera. Em sensação de dejavú tenho a nítida impressão que já nos vimos antes, talvez em outro contexto. Talvez dentro desse texto. Aquele momento onde a arte imita a vida, me abaixo pego a câmera e uma pomba dá um voo sobre a minha cabeça. E some da minha vista para além muros do famoso quadrado de Madrid.



Concluo:

Somente as Pombas são livres na Plaza Mayor.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Correr pelo Mundo



Gosta de correr? Já pensou em conhecer o Mundo correndo? Que tal?
O Viajante Renato Côrtes conta como é associar seus dois grandes prazeres: Corrida e Viagem.
E aproveita pra deixar algumas dicas bacanas pra quem quer...
Correr pelo Mundo!
Então, arrume as malas e não esqueça o tênis... 



Meu nome é Renato, tenho 40 anos, casado, 2 filhos, moro em Rio das Ostras na Região dos Lagos. Sou formado em Gestão de Negócios, trabalho também na área de planejamento, embarco nas plataformas de petróleo há 20 anos e sou viciado em corridas de rua.

Renato correndo na Maratona do Porto




1) Quando você começou a correr? Por que? Qual a importância da corrida na sua vida?

Comecei a correr aos 38 anos, meu objetivo era perder peso e melhorar minha qualidade de vida. No começo apenas caminhava, mas aos poucos meu corpo pedia mais, quando vi já estava eu lá correndo. A brincadeira ficou séria e virou um prazer correr. Resultado disto? Menos 15 Quilos, um vicio e um sorriso no rosto.

Corrida em Arraial do Cabo - Outubro Rosa


2)E viajar? Você se considera um viajante? Qual o seu fluxo de viagens por ano? 

Bem, minha primeira viagem internacional foi para o Chile em 2011 com a minha esposa Luana. Pode-se dizer que foi como a corrida, um vicio. Hoje conheço 19 países e faço em média de 3 a 4 viagens por ano. Quanto mais lugares você conhece, mais lugares você quer conhecer... Conhecendo novas culturas, costumes e adquirindo novos conhecimentos, isto tudo se divertindo é claro.

Corrida em Cabo Frio

3)Qual foi sua primeira corrida competitiva fora da sua cidade? Como foi?

Foi na 2ª edição da Meia Maratona do Balneário Camboriú, já começou na correria, pois cheguei no local da prova na hora da contagem regressiva para a largada rsrsrs... Lá fui eu participar dos 5 Km, detalhe que eu estava vindo de uma crise de labirintite e fiquei algumas semanas sem correr. Mas lá estava eu naquela orla maravilhosa, correndo quando de repente alguns corredores já estavam voltando, sendo que a organização da prova tinha se esquecido de fazer a marcação do retorno, não voltei... Continuei até o final da orla como alguns outros corredores também. Resumindo ao invés de 5 Km acabei correndo 9 Km, o que para mim foi uma vitória devido ao fato de estar parado há algum tempo. Mas o que vale mesmo não é a competição, não importa se você chega em primeiro ou em último, o que importa é o prazer de se estar correndo. É desafiador, você supera os seus limites e estampa aquele sorriso no final de cada prova. Ainda mais tendo ao final de toda competição o abraço da minha esposa e da minha filha Nina que me acompanham em todas as provas, sempre me incentivando e me dando aquela força, minha torcida numero 1. 


4) Já correu fora do Brasil? Caso positivo, onde foi, como foi, quantos KM e com qual condição meteorológica?

Participei este ano da 13ª edição da Maratona do Porto em Portugal, fiz os 15 Km debaixo de sol, mas com uma temperatura de 7 graus. Estar correndo com 5 mil corredores é uma emoção muito grande. Com certeza outras virão, agora estou treinando para em 2017 fazer minha primeira Meia Maratona de 21Km.


5) Quando você viaja, você corre? Mantem seus treinos? 

Sim, tento juntar o útil ao agradável, são minhas 2 paixões, sempre que planejamos uma viagem, pesquiso se irá ter alguma prova no local. Já corri em Paris, Roma sempre mantenho meus treinos. Uma opção bem bacana também são os RunningTour, em alguns lugares você encontra agências que fazem o citytour correndo pelos pontos turísticos da cidade, vale a pena. 

Running Tour Roma/Itália


6) Qual lugar mais exótico que já correu? E como foi?

Passei uma semana em Honolulu no Hawaii onde corria todos os dias, um visual de tirar o folego e ao mesmo tempo te dando uma enorme disposição. Entre o mar azul com ondas perfeitas e uma área verde que nunca vi antes em lugar algum, a vontade era de não parar de correr, mas daí vinha aquele pôr do sol imperdível,aí era a hora de parar e relaxar.

Treino em Honolulu/Hawaii


7)Tem algum site para indicar onde é possível ver o Calendário de Corridas pelo Mundo?

Sim, para corridas nacionais tem o http://www.ativo.com/ e para corridas internacionais http://www.correrpelomundo.com.br/, uma pagina bem bacana também no Facebook é a Viciados em Corridas de Rua onde você fica por dentro de todas as provas e pode compartilhar seus treinos e experiencias com a galera que curte a corrida.


8)Qual será sua próxima corrida competitiva?

Ainda não fiz meu calendário de provas para 2017, mas estou de olho na EDP Rock n´Roll Meia Maratona em Madrid na Espanha, uma corrida noturna que está prevista para 23 de abril de 2017.


9) Para encerrar, se pudesse escolher um lugar no Mundo para correr onde seria?

Uma vez vi na internet uma corrida no Camboja na Ásia, fiquei meio atentado rsrsrs.


Corrida em Rio das Ostras/RJ

domingo, 13 de novembro de 2016

Navegando pela cidade... Uma nova perspectiva do CityTour!


Já pensou em conhecer o destino sobre outro ângulo?
Que Paris, Amsterdã e Aveiro são cidades exuberantes é fato!
Mas o que esses três lugares tem em comum?




São totalmente ligados por redes fluviais! 
Você consegue conhecer boa parte dos pontos turísticos dessas cidades através de embarcações super maneiras, com preços e formatos pra todos os gostos.
E em alguns casos te permite subir e descer nos pontos mais interessantes. 
Que tal?




Gostou da ideia? Então embarque conosco!


Primeira parada: Paris!


O Rio Sena dá vida à Cidade Luz! Toda cidade flui as margens desse emblemático rio. Nosso ponto de partida se faz no Champs de Mars, na saída dos Bateaux! 
Lá você tem várias opções, indicamos 3 delas!

Low Cost: 
O Batobus em Paris é a opção mais econômica para se conhecer a cidade via Sena (e a que eu mais gostei), você pode comprar um ticket válido por 24 ou 48 horas e pode desembarcar em 9 estações nos principais pontos turísticos. O valor de um dia é 17 euros (adulto).

Medium Cost:
Bateaux Mouches - Com uma frota de embarcações modernas, o lendário Bateaux Mouches oferece um passeio sem parada pelo Sena, porém desfrutando de um serviço de buffet especialíssimo. O turista pode optar pelo almoço ou jantar, ouvir a boa música francesa e suspirar por um cenário de perder o fôlego. As opções variam à partir de 60 euros (adulto).


Hard Cost:
Bateaux Parisiens - É o que há demais luxuoso em termos de navegação no Sena, além do restaurante super conceituado, conta com espetáculos e música ao vivo. Local perfeito para uma noite romântica.
Porém tudo nessa vida tem um custo... Prepare-se pra mexer no bolso, o pacote inicial saí por 89 euros (não incluindo bebidas). 


Segunda Parada: Amsterdam!


Em Amsterdam tem passeio para todos os gostos e bolsos, você pode optar pelo passeio sem parada, com parada, com almoço, sem almoço e até de pedalinho. Lembrando que muitos casam o passeio com entradas em Museus ou Atividades como por exemplo a Heineken Experience. 
Os tickets são vendidos à partir de 18 euros.

Terceira Parada: Aveiro/Portugal


A Ria de Aveiro é sem sombra de dúvidas um Mar de Experiências, a Ria, é a água do mar que entra na cidade de Aveiro em forma de canais. Lembrando muito Veneza, os canais contam com embarcações chamadas de "moliceiros" uma espécie de gôndola estilizada. O diferencial das embarcações é que contam com pinturas típicas e frases com contexto cômico. Assim em qualquer época do ano as águas se transformam em atração turística, numa festa de luz e cor. Os moliceiros passam por paisagens inspiradoras, como montes de sal, casas coloniais e históricas. Um convite para se perder e se encontrar no horizonte dessa bela cidade portuguesa.
O passeio de Ria acontece durante todo ano, custa cerca de 15 euros por pessoa.


Depois de navegar, te convidamos à correr!
Sim! Correr pelo Mundo?
Aceita o convite? Então arrume as malas e não esqueça o tênis!
Viva mais, viaje mais... Colecione memórias!


domingo, 30 de outubro de 2016

Viagem & Hospedagem - Do Luxo ao Roots!


Quando sua casa é o Mundo, onde você dorme importa?



Entre o hotel 5 estrelas e um hostel descolado, 
qual a melhor opção de hospedagem?
Escolhemos 5 opções de alojamento.
que são uma atração à parte no destino. 
Entre luxo e o roots, 
desfaça a mala e relaxe! 
Sua viagem pode se tornar ainda mais inesquecível!




O que a hospedagem agrega? O primeiro ponto pra escolher um lugar bacana para se hospedar, é saber o que te satisfaz em uma viagem. Primeiro passo, questione-se:
  • Balada? 
  • Tranquilidade?
  • Bons restaurantes,conforto? 
  • Funcionalidade e simplicidade?
  • Com crianças (ou com espírito de criança)?
  • Localização importa? Faz uso dos pés, do metro e do táxi?
  • Precisa ganhar tempo? 
  • Não tem pressa para a programação?
  • Viaja só? 
  • Com amigos ou família? 
Depois desse "Quiz" te convido à conferir a sua cor, ou suas cores eleitas. Lembrando sempre que a fórmula da viagem perfeita é dosada a partir do "feeling" de cada um. Não se preocupe caso seu resultado tenha saído um verdadeiro arco-iris, sinal que você é um viajante eclético e super adaptado ao Mundo e suas Maravilhas. 
O que vale é arrumar as malas e ser feliz! 

Hostel 


Atualmente encontramos uma variedade infinita de estilos de hostelling ou backpackers: temáticos, voltados para balada, com enfoque cultural, "cheap & chic" (barato e elegante)ou pé de areia (fazendo literalmente o mar de quintal). A verdade que os albergues abandonaram o rótulo de "point dos mochileiros", transitando em uma nova demanda para aqueles que querem "socializar" independente da geração. Mas não pense que hostel é sempre um local pra barganhar diárias! Nãooooo! As grandes redes de hotelaria já se inseriram nesse nicho e reformularam as hospedagens e seus valores. Hoje ficar em um albergue descolado sai muitas vezes o mesmo preço de um Hotel 4 Estrelas ou Boutique. 
Para pesquisar e reservar:

Hostel - Milhouse Argentina/Peru
Conta com 3 unidades, 2 em Buenos Aires e 1 em Cusco
Um dos melhores, senão o melhor Hostel da América Latina
Aclamadíssimo pelas Festas em seu Lounge.



Hotel Ecológico, Fazenda ou Resort

Colocamos as três opções juntas, pela quantidade de atividades que elas oferecem. Esses modelos de hospedagem já são a grande atração do destino e variam ao gosto do freguês. Você realmente não precisa sair do hotel para aproveitar o passeio! Com uma programação variadíssima, voltada para toda família. Em sua maioria incluem alimentação nas suas diárias (All Inclusive). É chegar, relaxar e desfrutar da viagem, sem se preocupar com a vida lá fora... Esses grandes complexos contam com lojas, piscinas, academia, boate, restaurantes, brinquedoteca, salão de beleza e às vezes até Zoológico.
Desligue o celular e esqueça o relógio! A diversão vai começar...

Tropical Manaus Ecoresort
A Rede Tropical Hotéis conta em Manaus com um super complexo as margens do Rio Negro. Há em suas instalações um Zoo, Agência de Tours, Lojas, Restaurantes, Piscinas, Brinquedoteca, como também um pequeno porto, de onde saem os passeios para desbravar a maior riqueza do Brasil: a Amazônia!


Executivos e afins


Quem pode... Paga! É inegável o conforto e praticidade de se hospedar em um 4 ou 5 estrelinhas. Um Hotel Executivo faz a diferença quando o turista exige: praticidade, conforto, conveniência e ganho de tempo. Claro que toda essa "benesse" tem um custo, um custo muitas vezes altíssimo. Porém as redes de hotelaria de luxo, estão se rendendo as tarifas mais econômicas. De olho em uma nova clientela, muitos hotéis lançam mão de promoções de quartos econômicos ou com benefícios durante a estadia, que suavizam o precinho salgado do quarto.

Lebua Hotel - Bangkok
O emblemático hotel do filme "Se beber não case 2", atende à todo tipo de nicho. O Lebua conta com tarifas que variam de acordo com o andar ao qual se hospeda e ao pacote de alimentação que você incluí, possibilitando à qualquer mortal a hospedagem em um suite hollywoodiana. Inclusão total!


http://www.lebua.com/

Hotel Boutique


Viaja sozinho? Gosta de conforto e ao mesmo tempo de um lugar acolhedor? O Hotel Boutique é sem sombra de dúvida a nova vedete da hotelaria. Pois permite um ambiente com atendimento diferenciado e temático, de acordo com o perfil do turista. 
Muitos hotéis inovam com decorações emblemáticas, dando um toque de personalidade as instalações. As áreas comuns permitem a convivência. Socializar em um Hotel Boutique é fácil!


Royal Penguin Boutique Hotel - Katmandu

No fervor de Katmandu, o Penguin além de contar com uma localização privilegiada, tem um bar-café super acolhedor. Seus quartos e demais dependências do hotel são ornamentados com bichos de pelúcia e uma iluminação super especial.



http://www.royalpenguinhotel.com/


Hotel Temático 

A Disney possui maestria em hotéis temáticos, impossível não voltar a ser criança nos Resorts do Mickey, porém muitas redes de hospedagem embarcaram nessa onda, criando produtos que contemplam não só a criançada como muito marmanjo. Com cinema, aquacenter, brinquedos eletrônicos, restaurantes temáticos e uma mega estrutura. 
Volte à infância... E curta muitooooooo!

Explorers Hotel Algonquin
O Explorers fica na cidade de Magny le Hongre, bem pertinho dos Parques da Disneyland. Seu tema é exploradores e navegadores. Com um visual de volta ao mundo, o hotel mantem um cinema em suas instalações, um aquacenter, loja da disney, quartos temáticos e um restaurante com um menu saborosíssimo.




Curtiu? Então segue a gente...

Viva mais, viaje mais... Colecione memórias!

Next Stop? Halloween Party, Onde? Disney! :)

domingo, 16 de outubro de 2016

Pode entrar a casa é sua!

Se tem algo que gosto de fazer é visitar a casa alheia, principalmente se a casa em questão guarda as histórias dos seus antigos donos. Na maioria das vezes quando começo planejar uma viagem, penso no lado histórico do lugar e em seus ilustres moradores. O que faz esse destino ser singular e merecer minha visita.
Além de belas paisagens, acredito que sejam as pessoas que fazem a especialidade do lugar. Quando pensei em ir ao Nepal, foi porque queria andar pelo mesmo chão que Buda andou, vislumbrar o mesmo horizonte que ele e absorver o motivo pelo qual tal lugar foi berço de alguém tão especial.
Claro que quando cheguei em terras nepalesas, logo me encantei com toda arquitetura. Me inspirei com as cores dos tecidos e a criatividade dos adornos.
Mas o sorriso do povo nepalês, foi o que mais me marcou. Acho que ali visualizei o sorriso de Buda, o real motivo deu ter me deslocado milhares de quilômetros até esse pequeno país da Ásia.
Mas o tema é casa! A casa alheia...
Escolhemos 7 casas,  7 destinos diferentes, 7 possibilidades de conhecer um pouco mais sobre a grande atração turística desse Planeta: O Homem!

A Casa de Claudie Monet em Giverny
Se imaginar parte de uma tela, mas não uma tela qualquer, a tela de um dos maiores pintores do mundo. O cenário parece que tomou vida, ou seria a vida virou cenário? A arte de Monet se renova em seu jardim a cada primavera. Impossível não ser tomado pela inspiração do pintor. Impossível não voltar no tempo. Impossível não imaginar que ele vai surgir em algum cômodo a qualquer momento, coçando a sua longa barba com as mãos sujas de tinta.
Monet morou em Giverny por quarenta e três anos entre 1883 e 1926. Sua casa se conserva com seus objetos pessoais e sua história vibrando pelas paredes. Um encontro com a intimidade desse grande mestre impressionista.
Uma casa colorida, viva e para uma grande família. 
O horizonte dessa casa?
O Jardim de Monet! 
O jardim mais simbólico e lindo do planeta... Se perca pelas flores e se encontre na "The Water Lily Pond". Se emocione e acredite Vida e Arte são almas gêmeas.

The Water Lily Pond - Monet, 1889

Casa Anne Frank

Sim, eu fui a Amsterdam para isso! Por toda minha infância eu carreguei a curiosidade de ver onde morou essa menina que transcendeu as paredes da sua casa prisão. Libertando milhões de leitores com seu relato sutil de como foi o período mais negro da Europa. "Adolescer" com Anne Frank, mergulhar na sua história, ver a cidade pela mesma janela que ela e ter a certeza que realmente estamos de passagem, mas podemos ser eternos.
Se é sensível (como eu) prepare-se para chorar. Admito... Chorei todo Canal Prinsengracht (que fica em frente à casa). Cada degrau que você sobe percebe a história latente. Anne e sua família viveram dois anos refugiados nessa casa. Toda trajetória da família Frank se encontra pelos cômodos do prédio datado de 1635, no bairro Jordaan. 
Os Frank foram traídos e levados à Gestapo em agosto de 1944. Nos campos de concentração somente seu pai Otto sobreviveu... Retornando à residência da família, resolveu publicar a história da filha, o livro já foi publicado em 60 línguas e teve até então 25 milhões de exemplares vendidos.
Anne Frank House
Anne Frank
Imagem do Livro Casa de Anne Frank - Otto Frank no seu retorno à casa.
Museu - Anne Frank

Casa Museu Che Guevara

Apesar de não ter nascido em Alta Gracia, província do estado de Córdoba/Argentina. O revolucionário argentino passou parte da sua infância e adolescência na cidade. Sua casa foi mantida com riqueza de detalhes, inclusive uma réplica da "Poderosa II" a lendária moto do seu amigo Alberto Granado, que os acompanhou na visionária viagem pelas Américas. Na casa-museu você pode encontrar fotos, cartas e objetos pessoais de Che. Vale à visita! O passeio pode ser agendado pelo seu hotel ou hostel na cidade de Córdoba, o tour sempre é casado com visitação à vinícolas ou aos Monumentos Jesuítas da região. 


Casapueblo de Carlos Vilaró

Quando a casa em si é uma obra de arte...
Assim é a Casa Pueblo Carlos Vilaró em Punta Ballena (cerca de 15 minutos de Punta del Este), a casa-ateliê de um dos maiores artistas plásticos da América Latina fica enraizada em uma grande rocha, contemplando a magnitude do Oceano Atlântico. Com tendências surrealistas, o lugar desafia a gravidade e apresenta em seus cômodos toda contemporaneidade do pintor que sofreu grande influência do seu amigo Picasso. Os gatos, grande inspiração de Vilaró desfilam sutilmente pelos cômodos... Como se saltassem das telas, ganhando vida aos nossos olhos. Visitando à casa, permaneça até o final do dia para assistir o verdadeiro espetáculo da atração... O pôr do sol, ou a Cerimônia do Sol como bem dizia o artista.




Casa de Pablo Neruda - La Sebastiana

Se tem uma pessoa que deixou um legado arquitetônico com referência à sua vida, essa pessoa é Pablo Neruda. Por todo Chile você encontra vivendas desse grande poeta chileno. Em Santiago, em Isla Negra e em Valparaíso, as casas eram um tributo ao amor, ou aos grandes amores de Neruda. Uma mulher... Uma casa... Uma história...
Fiz de La Sebastiana em Valparaíso a minha escolha. Primeiro por amar muito essa cidade, depois pelo belíssimo museu com vista pra essa cidade portuária, cheia de vida e cor. Localizada no Cerro Bellavista, você consegue chegar ao museu a partir de Santiago através de excursões (quase todos os hotéis da Região Metropolitana oferecem esse passeio), ou de ônibus regular saindo do Terminal Alameda. 
La Sebastiana - Valparaíso

Casa Museu Gandhi - Mumbai 
Existem pessoas especiais que vem à esse planeta pra mudar o contexto das coisas... Deixam legado, deixam história e inspiração... Assim foi Gandhi! Estar em Mumbai/Índia e não conhecer sua casa, é um pecado mortal! O local se chama Mani Bhava e fica na região de Laburnim na Região Central de Mumbai. Onde o humanista viveu entre 1917 e 1944. Nos cômodos da residência você revive toda a trajetória da vida de Bapu (Pai da Índia), consegue entender um pouco da luta pela igualdade entre as castas e independência do país. Retrata também a sua relação íntima com o tear (sinônimo de liberdade), já que tecer as próprias roupas e não adquirir tecidos ingleses era na época um ato revolucionário.



Casa Azul - Frida kahlo

A cereja do bolo, a casa mais emblemática da América Latina, a Casa Azul em si já é uma obra de arte, enraizada na cultura mexicana, morada da mais expressiva pintora de todos os tempos: Frida Kahlo
A Casa Azul está localizada em Coyoacán, o bairro dos Coyotes, berço dos artistas e revolucionários mexicanos. Além de contar com um acervo das obras da artista e de seu marido Diego Rivera, você pode ver fotos e videos que retratam a intimidade da Frida. O museu conta com diversas atividades lúdicas como apresentações teatrais e oficinas para as crianças. Transite pela casa, pelo cotidiano da família Kahlo e se inspire com os objetos pessoais da pintora. A Vogue assina a curadoria da exposição temporária "As aparências enganam" com os vestidos, sapatos e jóias que compuseram o estilo dessa figura atemporal, 



E por falar em casas... Qual a hospedagem ideal?
Quando sua casa é o mundo, onde você dorme... Importa?
Do Luxo ao Roots...
Arruma as malas!
Viva mais, viaje mais... Colecione memórias!



quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Mumbai, A Pobre Menina Rica da Índia!

Quando você desembarga no aeroporto de Bombaim opa Mumbai... Você se pergunta:
-Cheguei no lugar certo? Estou na Índia?
Sim, você está! E está em um dos aeroportos mais modernos do mundo e mais vigiados também!
Após os ataques terroristas de 26 de novembro de 2008, a segurança em todo país foi reforçada. Ao ponto que você só entra no aeroporto faltando três horas para seu voo e munido de sua passagem. Caso contrário... Barrado no baile baby! Os atentados de Bombaim marcaram a alma indiana, cerca de 10 ataques sincronizados que duraram cerca de 3 dias. Foram 80 mortos e 250 pessoas feridas. Os ataques foram atribuídos a um grupo Terrorista Islâmico Paquistanês. 
Bombaim ou Mumbai é uma cidade de contrastes, essa dualidade do nome provém da herança portuguesa na cidade. 
Portal da Índia

Mas hoje o nome oficial da cidade é Mumbai que ficou em evidência pelo mundo com as cenas de "Quem quer ser milionário?" (Slumdog Millionaire). 

A cidade também é a capital financeira da Índia e possui a maior favela do país: a Dharavi.

Definitivamente um lugar onde a riqueza e a pobreza dialogam. 
Mas qual foi o "porquê" de conhecermos Mumbai? 
O Renato (meu companheiro de vida e viagem) teve um "sonho" com a cidade e se tem algo que eu respeito são sonhos. Ele sonhou com a imagem do Portal da Índia, um grande arco com vista para o Mar Arábico. O monumento feito em comemoração à visita do Rei George V no Período Colonial Britânico.
Escolhemos o Taj Mahal Palace para nos hospedar. Um dos melhores hotéis da Índia, localização perfeita (com vista para o famoso Portal em tributo ao Rei Inglês), fora que conta com um dos melhores restaurantes de comida japonesa do Planeta, o Wasabi By Morimoto.

Começamos a desbravar a cidade pela Dharavi onde encontramos a maior lavanderia à céu aberto do Mundo. Sim muitos dos hotéis, restaurantes e famílias enviam sua rouparia para os inúmeros tanques de lavagem de Dharavi.  Admito um dos cenários mais surreais que já vi na minha vida, crianças correndo entre os lençóis super brancos e homens com mãos firmes estendendo e passando roupas.


Muitas agências de turismo fazem esse tour, inclusive em português. No nosso caso, fomos com a The Real India.
Outro ponto imperdível da cidade é a Estação Ferroviária, que liga praticamente toda Índia. Um ótimo lugar pra você observar o cotidiano dessa cidade cosmopolita.
A religião é algo que flui naturalmente na vida Indiana, muitas religiões convivem em harmonia dividindo às vezes espaços em comum. Católicos, Hindus, Hare Krishna, Budistas e Islâmicos transitam livremente pelas ruas de Mumbai. Participamos de uma cerimônia Hare Krishna no bairro de Juhu, foi uma experiência única, nos sentimos acolhidos pelas pessoas do templo. 
Saímos de alma leve e serena.

Como adoramos ir na casa alheia, não poderíamos deixar de visitar a casa mais ilustre de Mumbai: Casa Museu Mahratma Gandhi, o lugar é um mergulho na história desse grande humanista. Onde além de vislumbrar seus pertences pessoais, ainda é possível ver através de maquetes a sua trajetória de vida e luta.

E por falar em casa esse é nosso próximo post...
Toc, toc, toc... Pode entrar viajante! 
Bem vindo as casas mais famosas do Globo.

Viva mais, viaje mais... Colecione memórias!